Início » Compre um carro usado com essas 5 dicas

Compre um carro usado com essas 5 dicas

A compra de um carro usado costuma ser uma via de tortura e loteria, porque atingir o modelo perfeito pode ser extremamente difícil. Bah! Às vezes, encontrar sua cópia dos sonhos não é sinônimo de sucesso, porque defeitos ocultos podem desqualificar seu carro e tornar sua compra completamente inútil. O que procurar ao comprar um carro usado?

Alguém gostaria de escrever – para tudo! Mas não é tão simples e, quando chega a hora de inspecionar uma cópia específica, geralmente esquecemos metade das coisas que queríamos verificar, a outra metade é verificada brevemente, o vendedor cobre perfeitamente as falhas e somos apanhados em seu jogo. O resultado? O carro comprado depois de um curto período de tempo começa a falhar, “várias flores” saem e, em vez da felicidade após uma compra bem-sucedida, há amargura e muitos nervos. Existe uma maneira de evitar isso? Sim, mas você precisa de uma boa dose de paciência, sobriedade e razão.

1. Navegue com cuidado pelos anúncios

Todo vendedor, não importa se é uma pessoa particular que vende seu único carro, ou um vendedor profissional, exibindo vários anúncios por dia, deseja vender um carro de forma rápida e lucrativa. É claro que no anúncio ele mencionará as vantagens do carro, enquanto as desvantagens serão colocadas em algum lugar na parte inferior ou as omitirá. É melhor escrever sobre o fato de os pneus serem novos e terem percorrido apenas 1000 quilômetros, do que descrever o fato de que eles são os “chineses” mais baratos que podem ser substituídos.

Os mais honestos simplesmente ignoram os defeitos ou os mencionam de maneira gentil, enquanto os menos escrevem que o verniz é muito bom, embora na verdade seja muito riscado ou emaranhado, ou retire a ferrugem. Parece bom. De longe. Na chuva Depois de escurecer … Não importa que, após a lavagem, as manchas foscas anteriormente cobertas com cera apareçam e, após alguns meses, apareçam bolhas após a pintura inábil. Essa é a preocupação do novo proprietário.

Quando o anúncio é interessante, vale a pena fazer uma ligação telefônica e perguntar sobre coisas de seu interesse, como quilometragem, condição técnica, reparos e substituições recentes de peças ou fluidos, histórico de acidentes etc. Mesmo que todas as informações estejam incluídas no anúncio, podemos perceber uma conversa ao vivo, se o vendedor “ativa algo” ou se responde com ousadia e confiança a perguntas difíceis. É muito importante verificar tudo e garantir que o vendedor confirme o conteúdo do anúncio antes mesmo da inspeção, especialmente se uma longa jornada nos espera.

2. Primeira impressão – verniz e condição corporal

Um medidor de verniz é uma ferramenta muito valiosa durante a inspeção, mas no início não vale a pena usá-lo, porque desencorajará o vendedor. Primeiro, verificamos o verniz e a condição e ajustamos os lençóis. Você deve procurar lascas grandes, massa visível, corrosão e aplicar um novo verniz diretamente no antigo. Obviamente, se assistirmos a um carro com cerca de uma dúzia de anos, não precisaremos de um revestimento de pintura absolutamente perfeito e fabricado na fábrica, mas a idade do carro não justifica reparos, nem encobre defeitos maiores causados ​​por colisões.

Não vamos mentir para nós mesmos, um carro de 15 anos que usamos todos os dias não deve parecer novo. Portanto, lascar o capô ou o para-choque dianteiro causado pelo impacto de seixos, estofos nas bordas da porta ou até mesmo um verniz levemente fosco é algo normal. Uma dúvida maior pode surgir da condição perfeita e do brilho acima da média, que agradam aos olhos e impressionam a todos, mas, por outro lado, pode ser uma cortina de fumaça. Isso pode significar pintar correções ou até pintar o carro inteiro. Se o vendedor o mencionou no anúncio e descreveu os motivos, não deve ser um problema, mas quando as perguntas sobre esse estado forem evasivas, pode ser um mau sinal. Para muitos, isso pode ser muita cautela e se apega a tudo, mas ao comprar um carro isso não é uma prática ruim. Há pessoas que se preocupam apenas com o carro, mas devem explicá-lo de maneira clara e clara. Quaisquer respostas evasivas devem ser questionáveis.

Entrevista

Clica na imagem e inicie sua entrevista.

3. Condição do volante e do botão da engrenagem

Este é um desses elementos que são uma espécie de papel de teste decisivo. É com esses elementos que temos contato direto e eles são expostos ao desgaste pesado. Ao comprar um carro com uma quilometragem de 200.000 quilômetros ou mais, ambos os elementos serão usados ​​com clareza – o revestimento será liso, escorregadio e frequentemente rachado. Estofados em couro podem mostrar sinais claros de desgaste. Se esses dois elementos parecerem excepcionalmente bons e frescos ou piores, não são de fábrica, eles poderiam ter sido substituídos pelo proprietário anterior, o que, por sua vez, pode significar uma quilometragem muito maior do que a indicada pelo vendedor. A propósito, verifique o ajuste e as condições de ambos os elementos, como folgas, rachaduras ou outros danos.

4. Condição dos bancos e dos forros dos pedais

Esses são outros elementos que o motorista utiliza muito intensivamente e, após o uso, é possível avaliar a quilometragem estimada. Desgaste claro, abrasões e rachaduras são sinal de uso intensivo do carro. Quando o vendedor declara cerca de 120-150 mil quilômetros, e o banco do motorista está fortemente dobrado, o estofamento gasto, rachado é um sinal claro de desistência da compra.

Geralmente, em carros com alta quilometragem, o banco do motorista é danificado, esfregado e vincado. Acontece que sua contribuição simplesmente se destaca da estrutura. Os furos resultantes do uso frequente costumam aparecer na beirada da porta. Obviamente, o banco do motorista pode ser substituído por um em uma condição muito melhor; vale a pena comparar a sombra e a cor do estofamento – se ele diferir do resto dos elementos, há motivos de preocupação e outras perguntas para o vendedor.

Quanto à condição dos pedais, o sinal de que o carro percorreu muitos quilômetros está muito desgastado ou até com uma textura com vazamento. Além disso, um revestimento do pedal da embreagem extremamente desgastado pode significar que o carro dirigia muito na cidade, o que por sua vez pode ser particularmente perturbador para os modelos a diesel. Quase forros de pedal novos em um carro com mais de 150.000 quilômetros também podem levantar dúvidas. Isso pode significar que eles foram substituídos quando o medidor foi revertido.

5. Assunto crítico – curso

No Brasil, há uma percepção de que não vale a pena comprar um carro com quilometragem acima de 200.000 quilômetros, porque é sucata. É muito melhor comprar um carro com 100-150 mil milhas, porque é “quase novo”. A palavra “quase” é a chave, especialmente para carros que na verdade têm pelo menos o dobro da invasão, mas a mágica dos números faz com que o bom senso da maioria dos compradores durma. Perseguindo baixa quilometragem? Para certos limites.

Um carro bem conservado, com uma quilometragem de 250.000 quilômetros ou mais, pode ser uma escolha melhor do que um carro que chega com 125.000 quilômetros. Mas como verificar isso? Atualmente, esse não é um problema grave e, na verdade, o número de artesãos que tentam trapacear está diminuindo lentamente, embora essa prática ainda seja perceptível. Felizmente, o comprador pode verificar a milhagem usando o VIN. Se o vendedor não quiser fornecê-lo, ele não possui documentos do carro, como cadernos de serviços ou documentos de inspeção, é melhor cancelar a compra e até mesmo inspecionar o carro – uma perda de tempo.

Enquanto no Brasil, o motorista médio cobre uma média de 20.000 quilômetros por ano, no oeste, ou seja, na Alemanha, na Itália ou na França, a quilometragem média anual é geralmente de 30, 40 e até 50 mil quilômetros. Portanto, o carro de dez anos importado de nossos vizinhos ocidentais, que tem 150.000 quilômetros no medidor, é um corvo branco ou um cadáver com o medidor retraído. A quilometragem real desses carros costuma ser de 300 ou 400 mil quilômetros. Obviamente, se os dados decodificados a partir do número coincidirem, o vendedor terá a documentação completa e as condições técnicas do carro não levantarão objeções, não desista da compra.

Luiza Alvarenga

Voltar ao topo
error: Content is protected !!